domingo, 16 de setembro de 2012

LINDA MENSAGEM

Em  algum  momento de nossas vidas, todos nós nos sentimos sufocados,sem saber o que fazer.Por mais que pensemos sobre o que estamos sentindo e busquemos soluções para nossas dúvidas, parece que a resposta certa não surge, não vem...
Isso também pode acontecer com o amor.Alias, é muito comum e até compreensível que isso que isso aconteça.Afinal de contas, as relações existem entre pessoas , e elas se setem inseguras e perdidas no que se refere no fator, confiança perdão e tantos outros sentimentos que fazem parte da vida a dois...
A partir daí, podemos optar entre dois caminhos.
Ou insistimos, continuamos " martelando" no mesmo ponto, "ocultando" as mesmas feridas e, provavelmente no sentido ainda mais mais frustrado... ou relaxante e damos tempo  para o amor!
No entanto, entre  as duas  opções, existem  sutileza que precisa ser observada. Isso significa que não devemos insistir demais, nem relaxar ao ponto de fingir que nada está acontecendo e nada mais precisa ser feito ou dito...
O equilíbrio está em observar, manter-se consciente, mais respeitar  o ritmo da vida.Baixar a ansiedade e compreender que as situações desagradáveis surgem nas relações de amor para aprendermos  algo com elas e não para nos torturar.
Muitas vezes, a resposta está no silencio é preciso aquietar a mente, apaziguar os ânimos e sentir o coração para ouvir esse silencio especial; isto é o silencio que responde, nos permite deixar que a vida simplesmente seja...
A  maioria de nós sente dificuldade para aceitar as situações  como elas são por causa da dor que elas trazem.Ciúme, insegurança, raiva, medo , inveja ,vingança, sensação de  rejeição ou de abandono são alguns dos sentimentos causadores da dor. E tentamos evita-la a qualquer custo.
Mas se conseguimos compreeder que a dor ensina e, sobre tudo, que ela passa, talvez possamos dar um tempo  a nós  mesmos sem acreditar que isso signifique que está tudo acabado.
Gosto de pensar que  na lagarta que se encolhe no casulo escuro e feio para, depois de amadurecida e pronta, romper sua casca e ressurgir dela, radiante  e  encantadora, como  borboleta! Gosto de pensar que a dor nos faz sentir como fôssemos lagartas, presas numa condição aparentemente terrível...
Então, podemos rejeitar essa  situação e romper com ela, mas não  estaremos prontos e nos mostraremos feios e desajeitados.Mas se vivermos o nosso processo de amadurecimento poderemos superar essa fase para ressurgirmos numa condição visivelmente superior!
Sugiro que voçe comece a observar os momentos em que entra num casulo.
Procure esperar até que esteja  pronto para romper os seus limites e superar a dor com condições de tomar  a decisão certa.